Treino GVT

Praticar exercícios físicos é a melhor forma de ter uma vida saudável e manter o corpo bonito. Mas se você deseja que seus músculos cresçam mais rapidamente, então o método German Volume Training (treino GVT) é o mais indicado.

Isso porque ele foca em um grupo muscular específico, fazendo com que a carga de esforço contribua para o desenvolvimento da região. Por isso, essa forma de trabalhar os músculos tende a ganhar mais notoriedade entre os atletas.

Se você não sabe como praticar o treino GVT, então continue lendo este texto. Abaixo falaremos mais sobre ele e daremos algumas dicas incríveis para você. Confira!

O que é treino GVT?

Treino GVT, conhecido também como Treino de Volume Alemão, é um método avançado de treinamento que visa o desenvolvimento da massa muscular.

É importante ressaltar que ele causa mais exaustão na musculatura, já que traz um esgotamento do local. Dessa maneira os músculos são obrigados a crescer. Assim, é necessário que você tenha mais resistência à dor para não desistir e deixar que o treino traga os resultados esperados.

Além disso, ele só deve ser praticado com o acompanhamento de um profissional. Dessa maneira, você evita causar danos ao seu organismo e pode praticar o método de forma eficiente, com todo cuidado.

O treino GVT consiste em selecionar um tipo de exercício focado em apenas um grupo muscular. Assim, você deve fazer 10 séries e 10 repetições, trabalhando ao menos uma vez por semana cada grupo.

A cada grupo trabalhado, é preciso manter o mesmo padrão 10 x 10 e o mesmo peso, até o final do exercício. Além disso, o tempo de intervalo entre uma série e outra é de pelo menos 60 segundos.

Assim como praticar é importante, a pausa é essencial para não lesionar os músculos.

Como surgiu o treino GVT?

Como o próprio nome sugere, o treinamento foi usado pela primeira vez nos anos 70, na Alemanha. O então treinador da equipe nacional de halterofilismo, Rolf Feser, popularizou a modalidade, conquistando diversos adeptos.

Foi assim que vários atletas passaram a ganhar massa corporal mais rapidamente e conquistar uma nova categoria de peso em poucas semanas.

O treino GVT foi tão eficiente que logo eles perceberam que não apenas a musculatura se desenvolveu, mas também houve evolução da força e resistência dos praticantes.

Nos Estados Unidos, o método passou a ser utilizado depois que Vince Gironda conheceu a modalidade, levando a técnica ao país.

Algum tempo depois, o German Volume Training começou a ser aplicado em vários países, sendo utilizado por grandes nomes do esporte, como o canadense Jaques Demers, ganhador da medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Los Angeles.

Como funciona o German Volume Training?

Como falamos acima, o treinamento é feito com apenas 1 exercício para cada grupo muscular. Ele tem um volume total alto e ajuda na quebra de platô, dando mais ênfase ao resultado.

Apesar de ser apenas um exercício, a técnica não é fácil de ser executada, devendo ser feita por quem já pratica alguma atividade, sempre sob a supervisão de um instrutor qualificado.

O esforço é recompensado desde que não prejudique o corpo e, consequentemente, a saúde.

Assim que você escolhe qual grupo trabalhar, deve usar 50% a 60% de 1 RM, fazendo as 10 repetições sugeridas. Faça as 10 séries, aumentando a carga, se possível, em 5% na próximo vez.

Em muitos casos, o praticante pode ter dificuldade em terminar as últimas séries, especialmente quando for trabalhar os músculos mais fracos do corpo. Isso ocorre porque o organismo começa a cansar, ficando fadigado.

Tente manter o ritmo e realizar esse método apenas quando já possuir um bom tempo de treinamento.

Como executar o treino GVT?

Se você chegou à conclusão de que esse treinamento é o ideal para o seu caso, faça-o. Mas não se esqueça de tomar todos os cuidados necessários.

Para começar você deve:

1. Optar por exercício básico

Como o objetivo do treino é ganhar massa, sempre escolha os exercícios de movimentos compostos. Eles ofereceram mais qualidade, permitindo bons resultados.

2. Estabeleça um período de prática

Antes de começar a técnica, faça um planejamento de carga e de tempo de trabalho para ajudar na conquista dos seus objetivos, sem prejudicar o tecido e os próprios músculos. É importante não ultrapassar 5 semanas de treinamento.

3. Descanse

Ao fazer apenas 1 movimento para cada músculo, 1 vez por semana, você deve dar um bom tempo de descanso para que seu corpo possa se recuperar. O certo é fazer a atividade de 3 a 4 vezes na semana.

Quais as vantagens do GVT?

Os principais benefícios do GVT são:

  • aumento de força e resistência;
  • melhora das condições neuromotoras estabilizadoras;
  • aumento de concentração para aprimorar os exercícios praticados; e
  • estímulo na busca por novos padrões de atividades.

Quais são os melhores exercícios para o treino GVT?

Os exercícios podem ser de acordo com suas preferências. O importante é que você escolha apenas um para cada região, trabalhando toda a musculatura ao longo da semana.

Por exemplo, se você separa um dia para trabalhar costas, então escolha uma modalidade básica, como a barra reta, e mantenha a sequência.

No outro dia, selecione outro grupo e um exercício que seja indicado para o local e faça o mesmo processo.

A única musculatura em que não há necessidade de fazer o método é o abdômen. Isso porque ele já é trabalhado cada vez que você se submete ao treinamento.

O importante é dar total atenção ao músculo que está sendo exercitado, fornecendo o tempo de descaso adequado entre as séries.

Para quem o GVT é indicado?

O treinamento alemão é indicado para quem já possui experiência com atividades físicas e busca práticas de hipertrofia, dando estímulo maior no crescimento muscular.

O treino GVT é uma excelente sugestão para modelar o corpo, permitindo que os músculos fiquem mais desenvolvidos e fortes. Respeitando o seu organismo e mantendo sempre uma boa alimentação, você pode se surpreender com os resultados.

Você já conhece esse método e pratica ele na academia? Compartilhe suas técnicas, deixando seu comentário abaixo.

Treino GVT

Fernando Sardinha
Escrito por Fernando Sardinha